Conceito - Pessoa Wines
15193
page-template-default,page,page-id-15193,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-8.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive

Conceito

“Quando tive contacto pela primeira vez com o Vinho e a Comida eu era estudante de gastronomia, adorava aquela atmosfera, mas não fazia ideia do quão importante e fascinante era este mundo de sabores e texturas. Um vinho pode e deve enaltecer a comida, o casamento tem que acontecer e então faz todo o sentido quando acontece”, Lívia Novais – Sommelière

 

O conceito de harmonização vem dos aspectos organolépticos da comida e do vinho. Os sabores são combinações que acontecem e que podem salvar ou destruir uma refeição. Depende muito de bom senso e, obviamente, de conhecimento sobre as estruturas de um vinho e do prato que se irá servir. Por exemplo, uma regrinha básica: o vinho jamais deve sobrepor-se à comida e o inverso é verdade. Simples assim.

 

Mas antes devemos entender que uma das coisas que mudou na gastronomia, a filosofia de comer bem, não vejo isso como extremismo, então o mais importante é sempre comer e beber aquilo que lhe apetece. Mas já que existem algumas regrinhas, vamos entendê-las e assim pode-se até testá-las e ver os resultados.

 

Hoje percebe-se a exigência em buscar o prazer na mesa. E junto disto, obviamente, vem o vinho, que (e para mim isto sempre foi claro) vinho é ideal para acompanhar comida… mas o mesmo herói pode tornar-se num grande vilão se não atentarmos aos detalhes da sua potência e tanino como, por exemplo, no caso dos tintos muito tânicos a acompanhar peixes. Basta servir a alguém um tinto potente com uma boa posta de robalo e ganhará um inimigo para o resto da sua vida. Mas como toda regra tem a sua excepção, e ainda bem que a tem, por exemplo uma harmonização clássica de sardinhas portuguesas é com vinho verde tinto e doa a quem doer.

 

Então atenção: regras de harmonização são importantes para entender e tirar o melhor proveito do casamento comida X vinho. As harmonizações clássicas a seguir encontra em livros sobre o assunto, sites e blogs especializados, são 100% seguras e interessantes para quem quiser comprovar o casamento entre vinho e comida.

 

Antes de começar quero deixar claro a minha opinião, que é e sempre será, que não existe nada mais pessoal do que gosto. Vejamos as combinações tradicionais e até mesmo confortáveis:

– Ostras com Chablis Tradicional
– Patê de Foie Gras com Sauternes
– Frango Grelhado com Beaujolais

 

Pensando nisso, a sommelière Lívia Novais, que tem formação em gastronomia e especialização em cozinha internacional, preparou algumas receitas contemporâneas para harmonizar com o Pessoa da Vinha. E disponibilizou algumas receitas no nosso site. Então, bom apetite!!!